was successfully added to your cart.

Cafeterias que Amamos: Copenhagen Coffee Lab

By 28 de abril de 2017Outros

Ao longo do mês de abril, o tema que temos explorado aqui no blog é o açúcar. Seja por conta da doçura dos cafés especiais, seja por conta da polêmica convicção de que o bom café deve ser tomado puro, o assunto rende bastante. Como nós não somos adeptos das verdades absolutas, no post de hoje da cafeteria que amamos resolvemos visitar a Copenhagen Coffee Lab, em Lisboa – uma cidade famosa por doces carregados no açúcar e por consumos altíssimos de café.bp-coffee-lab-placaA escolha pela Copenhagen Coffee Lab não foi à toa. Com Lisboa entrando no mapa dos lugares mais visitados da Europa, as cafeterias de terceira onda finalmente chegaram à cidade. Localizada no Príncipe Real, bairro icônico e bastante turístico, ela oferece grande variedade de métodos de preparo de café, desde o espresso tradicional (servido em 25 ml) até a nova febre do flat white, além dos filtrados quentes em V60, aeropress e chemex, e do cold brew. O ambiente é clean, com mesas compartilhadas e individuais, no mesmo estilo de outros coffee labs que são encontrados em Berlim, Milão, Paris, Estrasburgo e São Paulo, o que tira um pouco da identidade do lugar. Mas não se preocupe com isso: se o assunto é a qualidade do café, viemos ao lugar certo.bp-coffee-lab-equipamentosClaro que, em uma cidade cujo preço do espresso gira em torno de 0,60 de euro, os preços da casa assustam (1,30 euro para um espresso, 4 euros para o café na aeropress). Entretanto, não chega a ser uma surpresa para quem frequenta lugares especializados em café. O Copenhagen Coffee Lab trabalha, normalmente, com 3 a 4 variedades de grãos. Na ocasião da nossa visita, dispunham de Etiópia e Burundi (sazonal) para os cafés filtrados e Guatemala e Brasil para os espressos.

Para fazer minha experiência, pedi o aeropress feito com grãos do Burundi. Não adocei o café e escolhi como opção de acompanhamento a torta de chocolate especial da casa (2,50 euros) – massa aerada leve com recheio cremoso, quase uma ganache.bp-coffee-lab-aeropress-tortaFelizmente, não era muito doce, ao contrário do que se poderia supor. Ao mesmo tempo, o café também não é forte, então a combinação com a torta funcionou bem. Mais do que isso, o fato de o grão escolhido ser levemente ácido e frutado – na descrição, contém notas de red berries e grapefruit – gerou uma combinação bem interessante. Vale destacar que o processo é feito com cuidado: grãos moídos na hora, pesagem precisa e água na temperatura ideal (quente, mas não em excesso). O veredito final? O doce não impactou em nada o sabor do café; ao contrário, a torta deu a doçura na medida certa. Talvez o café com açúcar gerasse um excesso que foi bom evitar.

Depois de uma pausa, pedi o espresso com grãos do Brasil. Servido com 0,25cl, é de gosto marcante, com torra acentuada. De início, também tomei sem colocar açúcar e o amargor se fez bastante presente, como era de se esperar. Porém, ao combinar com a torta, a sensação foi de estranheza, como se houvesse algo desequilibrado na junção. Adicionei, então, uma colher de açúcar demerara e pronto: a ordem se reestabeleceu no meu paladar.bp-coffee-lab-mascavoPor fim, posso dizer que o resultado provou o óbvio: nessa batalha entre açúcar e não açúcar, a chave parece ser a combinação ideal entre as partes. Qual é a sua favorita?

A Copenhagen Coffee Lab fica na Rua Nova da Piedade 10, 1200-298 Lisboa, Portugal.